18 março 2016

5 coisas que aprendi em 2015

Sim, eu estou há praticamente meio ano escrevendo esse post. E sim, já pensei em excluí-lo dos rascunhos de vez. Mas não vou fazer isso. Bom, talvez eu deva algumas explicações àqueles que acessaram o blog nesse meio tempo em busca de algo novo escrito de um jeito bem bobinho por mim, então lá vai. Além de passar esse tempo todo com uma internet que estava dando pra nada, eu também fiquei meio sem tempo e, principalmente, sem criatividade alguma pra escrever algo bom aqui. Não me considero perfeccionista, mas acho que algo feito sempre dever ser sinônimo de algo bem feito. Eu bem que queria ter escrito qualquer coisa sobre qualquer coisa só pra manter acesa a chama da blogosfera em mim. Mas não consegui. 

Então, aqui estou, depois de exatos 78 dias editando esse post, com um milagre de a internet funcionar bem o suficiente à ponto de abrir o blogger, ao som das músicas hippies do álbum mais recente do Cody Simpson, escrevendo sobre algumas coisas que acabei aprendendo no ano passado. Não tenho certeza se isso acrescentará algo na vida de alguém, mas aqui vai.

Nunca confie no seu coração - Sabe aquela história de que você tem que seguir seu coração? Pois bem, não faça isso. Nunca, nunca, nunca. Sério. Decisões tomadas instintivamente com o coração são completamente irracionais e nunca terminam bem. Eu já tinha essa teoria em mente, mas precisei quebrar a cara pra começar a pôr em prática.

Engula seus medos antes que eles engulam você - Deixar de fazer algo por medo de não dar certo é o que mais acontece comigo, então acho que eu meio que acabei me acostumando com isso. Mas a verdade é que deixar os medos congelarem você lentamente não é uma sensação muito legal. Lembra daquela música do Eminem em que a Rihanna diz que ela é amiga do monstro que vive em baixo da cama dela? Então, não deixe os seus medos tomarem conta de você. Eles não são o tipo de amigos que você quer ter pra sempre,vai por mim.

Fale somente o indispensável - Conversar comigo é como estar em um monólogo. Pelo menos é o que dizem. Minhas sinceras desculpas pra você que já tentou conversar comigo (e meus sinceros agradecimentos se você continua tentando), mas é que sempre há uma pergunta flutuando na minha mente antes de eu dizer qualquer coisa. "Será que eu preciso mesmo dizer isso?". Se há algo que me assuste mais do que lugares lotados é a simples ideia de dizer algo totalmente dispensável.

Um dia desses li algo interessando num artigo de A Sentinela, que falava que existem momentos em que é bom não falar nada, assim como devemos escolher com cuidado o quê e como vamos dizer algo à alguém, porque de um modo ou de outro, nossas palavras podem fazer os outros se sentirem bem ou mal. Sabe aquela história de que as palavras tem poder? Pois é, ela é verdade.

Seus erros afetam outras pessoas - Se você erra, você tem que lidar com as consequências, certo? Mas na maioria das vezes, a situação acaba cutucando alguém que você com toda a certeza não queria machucar. Então, se você tem a leve impressão de que está prestes a cometer um erro, pare e pense se isso realmente vale a pena. Se não fizer isso por você, faça pelas pessoas que ama.

As pessoas sempre são melhores ou piores do que você pensa - É completamente inevitável julgar uma pessoa pelo que se vê. Às vezes você não chega nem perto de alguém por defini-la de acordo com as coisas que coloca na legenda do instagram, e às vezes você tenta se aproximar de uma pessoa exatamente por esse motivo. Mas não é que as aparências enganam? Talvez você quebre a cara. Talvez não. Mas isso você só vai saber de verdade quando conhecer a pessoa o suficiente pra não se deixar levar pelo seu pré-conceito (também não deixe isso virar preconceito). O fato é que perdemos a oportunidade de fazer bons amigos por motivos bem bobos, como esse.

Essa postagem contou com o apoio do grupo #MeAmoAssim
Conheça outras meninas que também escreveram algo pro projeto
Juliana | Isabelle | Jéssica

E você? Tem algum aprendizado que quer compartilhar? Conta aí!

4 comentários:

  1. Sobre a 4 e 5 vou ter que concordar 100%, já tive o "prazer" em descobrir isso. Amei o post e o blog <3

    Beijinhos :*
    Http://bibliotecasdealexandria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá! Vejo que valeu a pena esperar hein! O post ficou muito bacana e com reflexões muito bacanas. Adorei conhecer teu cantinho e um pouco mais sobre você e seu pensamentos!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Apesar de não concordar 100% com post, gostei bastante dele, e digo que a espera [principalmente a sua de ver esse post pronto] valeu a pena. E concordo com o 4 completamente. Engana-se quem pensa que suas ações não afetam mais ninguém.

    ResponderExcluir
  4. Amei o blog e esse post ficou lindo demais. Adorei p projeto, muito importante nos dias atuais, devemos nos amar como somos mesmo.

    umalivrariaaa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir