08 setembro 2015

Odeio

Odeio essa paranoia
Essa coisa que me enrola
Este destino obscuro
Odeio esse seu jeito de ser bruto
Que xinga os inocentes
E ainda me diz que quer ser crente

Você que eu já amei
Seu cheiro pra mim era o mais suave
Agora eu paro
Como pude gostar de você?
Seu ser sem escrúpulo
Vive zombando de tudo
E ainda diz que não é nada

Tem agora a boca amarga
Seu cigarro te mata
E por isso não me amarro
Diz que é bruto
Diz que é macho
Mas pra mim é só um chato
É metido a valentão

Tem um enorme coração
Mas não usa pra ser bom
Sentado tu me observas
E eu te vejo sugar tuas ervas
Preto,
Tu não devia ser assim
O que mais me incomoda é que eu gostava de ti

2 comentários:

  1. TO PASSANDO SÓ PARA DAR UMA OLHANDO OBGD.... POEMA DA MARI... CAMILA BOA AMIGA UM BEIJO GRANDE...

    ResponderExcluir